O que fazer em Dublin

Sim, como todo mundo pensa, a Irlanda é o país da Guinness e dos pubs e Dublin a capital de tudo isso. No entanto, há muitas outras coisas para se fazer, como vivenciar cenários de filmes, visitar castelos, museu da história da Irlanda, do whisky, da Guinness, se impressionar com a qualidade dos músicos de rua, fazer trilhas e muito mais. Mas calma, também vou falar de pubs e bebidas porque senão, não seria destino Irlanda, né?

Sim, como todo mundo pensa, a Irlanda é o país da Guinness e dos pubs. No entanto, há muitas outras coisas para se fazer, como vivenciar cenários de filmes, visitar castelos, museu da história da Irlanda, do whisky, da Guinness, se impressionar com a qualidade dos músicos de rua, fazer trilhas e muito mais. Mas calma, também vou falar de pubs e bebidas porque senão, não seria destino Irlanda, né?

E quanto ao clima? Qual a melhor época?

Simples, se você não gostar do clima da Irlanda, espere 5 minutos. Brincadeiras a parte, mas é verdade. No mesmo dia você pode e vai, experimentar sol, chuva, nuvens, vento, calor e frio, tudo em questão de minutos. Ou seja, faça como um bom irlandês, se estiver chovendo, continue passeando. Ficou muito forte? Entre num pub, ou café, e vida que segue.

E qual a melhor época?

Morando aqui posso afirmar que cada estação tem sua graça e uma beleza particular, então escolha a sua! Na verdade, não venha em janeiro, a não ser seja para vir para o meu aniversario 😉

Mês a Mês da Irlanda

Janeiro e Fevereiro

Janeiro é o mês de pós festas e o momento de “wellness month” (mês saudável) do irlandês – todo mundo precisa de detox né? Nessa época as finanças estão apertadas porque eles investem muito em presentes de natal e decoração. Isso somado ao clima frio e poucas horas de luz do dia (das 9h30 as 16 hrs 😳) tornam esses meses complicados…

A parte boa é que pode nevar e o cenário é espetacular. Porém é raro e caso isso não aconteça você vai acabar se dedicando às atividades em espaços fechados – Pubs e Guinness

Conforme os dias vão passando tudo vai ficando melhor e em fevereiro as flores da primavera começam a sair, a cidade fica toda romântica.

Aliás, para efeito de curiosidade a Irlanda tem o seu próprio calendário, chamado calendário Gaélico e nele a primavera começa em fevereiro e não dia 20 de março, conforme o tradicional calendário astronômico. Por experiência própria, a sabedoria ancestral está mais do que certa e o show de flores e folhas realmente começa mais cedo por aqui.

Março

Esse é o mes mais famoso da Irlanda. Nele acontece o dia de São Patrício, ou Saint Patrick’s Day!

Se a cidade já é naturalmente festeira o ano todo, no dia de Saint Patricks o povo pira o cabeção. Podemos dizer que é o carnaval irlandês com menos gente fantasiada e mais organização e policiamento.

As ruas do centro fecham para a passeata que dura fácil umas 4 horas. Na passeata os irlandeses levam crianças, cadeiras, escadas, e o que mais funcionar para se ter uma visão completa do espetáculo.

Assim que a parada acaba é hora de pular de bar em bar dividindo rodadas de pints, interagindo e celebrando com quem vc ver pela frente (o povo Irlandês manda bem demais na hora sociabilizar) e ai, a noite vira uma criança.

Ainda em Março acontece um evento conhecido localmente como “the big stretch”, é o momento em que o sol deixa de se por por volta das 17:00 e passa e se por por volta das 19:00, aumentando a luz solar dia a dia em uns 5 ou 7 minutos, até que (lá pra Julho) o por do sol aconteça por volta das 23:00, isso mesmo, você não leu errado, onze da noite.

Abril a maio

Luz do sol é uma grande coisa por aqui e nesses meses, qualquer solzinho é motivo para ir à rua tomar uma pint, café ou passear nas lojas da cidade.

O clima já está bem ameno, não muito frio, nem muita chuva. Os dias já estão mais longos e o por do sol esta acontecendo por volta das 8pm! É uma boa época para viajar para a Irlanda ate pq os preços de passagem pra europa ainda não estão no nível de “verão europeu”.

Junho a setembro:

Ah o verão! Como qualquer país da Europa a cidade vibra! Dias mais longos, escurecendo as ONZE DA NOITE, o que até da uma desajustada na cabeça da gente pra falar a verdade, rola uma sensação confusa de que está cedo e vc ainda tem mto pra aproveitar no dia quando na verdade já passou da hora de dormir!

Você pode ter sorte e pegar uma semaninha caprichada de quase 30ºC graus, mas de verdade, não espere calor. A temperatura média é entre 12ºC a 19ºC porém os dias são ensolarados, ótimos para aproveitar muito e tirar ótimas fotos – ah vale dizer que mesmo com a temperatura por volta do 20ºC, a sensação térmica não é de frio então uma bermuda ou calça leve, regata/camiseta e um casaquinho super resolvem.

Outubro a Dezembro:

É a época de festas comemorativas! Outubro Halloween, Novembro e Dezembro Natal. A cidade fica divertida no Halloween e um charme no Natal.

A natureza também é outro espetáculo. Até o final de novembro as árvores estão todas vermelhas e laranjas. Já em dezembro aquelas plantinhas vermelhas de decoração de Natal são reais e estão espalhadas pelas ruas.

Ah e pode nevar também no final de dezembro, se você tiver sorte, porque de novo, é raro, não venha com essa expectativa – mas se rolar eh de cair o queixo.

O que fazer em Dublin

A maior, mas não tão grande, cidade da Irlanda: Dublin

 

Dublin é uma cidade emocionante onde você pode passar um dia apenas passeando, apreciando uma boa música de rua na Grafton Street, admirando o Grand Canal que divide a cidade ao meio, visitando a área mais antiga de pubs no Temple Bar (por visitando leia-se tomando um pint) e também, passando por igrejas, castelos, e parques como o Saint Stephen’s Green no coração de Dublin ou o Phoenix parque que conta com sua própria manada de cervos selvagens soltos pelo parque.

Roteiro Papum

The book of Kells

Nosso dia começa voltando ao ano de 1592, enquanto os portugas ainda nem sabiam direito o que fazer com o nosso Brasilzão, aqui era fundada a Trinity College, a universidade mais antiga da Irlanda.

Comece passeando pelos jardins da universidade, admirando as estátuas homenageando escritores e personagens que fizeram história.

Termine o caminho no ponto alto da universidade: a Old Library onde se encontram os mais famosos e valiosos manuscritos do mundo, The book of Kells (onde vc encontra a famosa e instagramável Long Room).

The book of Kells, foi criado por monges celtas no final do século VIII ou início do século IX e nela estão contidos os quatro Evangelhos do Novo Testamento. O seu nome “Kells” se deve ao fato desses quatro livros terem sido guardados no Mosteiro de Kells, na cidade de Kells, no condado de Meath, na Irlanda.

Já o Long Room, nada mais é do que a própria biblioteca onde o The book of Kells se encontra. O especial daqui é a sua beleza arquitetônica, de cenário de filme.

Além dos livros, analise no Long Room as escultura de mármore que retratam importantes figuras históricas, como escritores, filósofos e patronos da universidade.

The Spire

Nossa próxima passagem é no The Spire of Dublin, ou carinhosamente chamado por mim de agulhão, mas conhecido mesmo como “Monumento da Luz” (Monument of Light). A escultura foi projetada como parte de um plano de revitalização urbana para a área central de Dublin. Ela tem como objetivo simbolizar o otimismo, a modernidade e a crescente prosperidade da Irlanda no início do século 21.

O Spire fica na movimentada rua O’Connell, cheia de lojas, ótimo para dias chuvosos e para dias de sol.

The Ha'penny Bridge

Nossa próxima caminhada é passando pela charmosa margem do rio Liffey até a ponte Ha’penny Bridge, cartão postal da cidade e claro, também tem História.

Construída no século 1800, originalmente essa ponte era um pedágio para você passar de um lado a outro da cidade. Daí o nome, Ha’penny.

Penny é o nome que eles dão para a moeda de 1 centavo que hoje não vale nada mas já valeu um bocado.

Molly Malone Statue

A história da estatua vem de uma música sobre uma pessoa que se apaixona pela Molly Malone que por sua vez era casada com um pescador e vendia mexilhões nas ruas de Dublin. No entanto, no século 20 surgiu uma lenda de que de dia ela vendia mexilhões e de noite era moça da vida.

Verdade ou mentira a graça turística, feministas não me matem, é passar a mão nos seios da estátua para assim, ter sorte infinita (é o que dizem por aqui).

Se eu já encaminhei até corrente de e-mail pra dar sorte, imagina se eu não vou pegar na estátua também ?!

Grafton Street

Esta é uma rua de pedestres, cheia de lojas, cafés, restaurantes e muito mais. Sempre muito movimentada e gostosa de se passear.

No entanto, o destaque desta rua são os artistas de rua. Ed Sheeran saiu daqui, não preciso mais te convencer né? Continue caminhando e pare em qualquer artista que você gostar.

Os artistas investem em bons equipamentos que tornam suas performances incríveis e, na maioria das vezes, atraem uma multidão ao redor deles.

Não se esqueça de dar uma gorjeta, a arte agradece.

Stephen's Green Shopping Center

O Stephen’s Green Shopping tem uma arquitetura de vidro bem interessante e você pode dar uma passadinha para admirar e tomar um café especial do Gurman’s Coffee and Tea Shop.

Tenho um certo carinho por esse café porque foi meu primeiro emprego na Irlanda, mas recomendo porque ele tem umas 180 variedades de cafés e chás. Antes de pedir seu café, passe uns minutinhos sentindo o aroma das diversas opções, isso deixa a experiência ainda mais gostosa.

Stephen's Green Park

Agora é hora de, como um bom Irlandês, se sentar na grama, tomar um solzinho e dar uma merecida relaxadinha.

O parque é um oásis de calmaria e natureza no coração do movimentado centro de Dublin. Passe o tempo que você quiser para curtir os pássaros, analisar algumas esculturas espalhadas pelo parque, ouvir os cantos dos pássaros e admirar as flores de Dublin.

Cuidado ao comer algo no parque, alguns pássaros estão acostumados a roubar uma porção do seu lanche como um pedágio 🙂

Pubs

Pronto, descansou? Agora é hora de tomar umas boas pints!

Primeiro de tudo: Não tem como ir a Irlanda sem experimentar uma Guinness. “Ah mais já tomei em outro canto e não gosto”. Presta atenção, tira os preconceitos e toma. Não é papinho mas sei lá porque raios aqui ela é mais gostosa, cremosa, e diferente (talvez porque venha direto da fonte?). 

Não o bastante, tome mais de uma vez porque, de fato as vezes de primeira não é incrível (tipo comida japonesa), mas garanto que fica cada vez fica melhor. 

Ta bom, entendi que você não gosta de cerveja, ja tentou de tudo, é muito amarga. Então experimenta cidra local, pode te agradar. 

A cidra é feita a partir da fermentado de maçãs e tem um sabor suave e frutado, com uma mistura de doçura e acidez que é agradável ao paladar. É uma cerveja amplamente consumida por aqui, especialmente durante os meses mais quentes, por ser mais leve e refrescante.

Guinness e Bulmers (uma opção de cidra), já tem a sua favorita?

Falando de recomendação de bebidas, uma que amo e nunca decepciona ninguém, é o shot de baby Guinness. Não tem nada a ver com a cerveja, é bem docinho feito de Baileys de licor de café. O nome é pela semelhança visual de ser uma Guinness pequenininha.

Desculpe, me empolguei com o papo de bebidas. Voltando aos bares, fiz uma lista abaixo, com os top mais populares e turísticos. Porém, o esquema mesmo é aproveitar que aqui não se cobra entrada em bares e nem 10% e simplesmente parar de pub em pub até encontrar o seu preferido (ou não lembrar mais onde está) é o famosos “pub crawl” – Crawl de engatinhar em inglês , ja imagina porque né? 

Ah, antes que eu esqueça, esquece aquele negócio de comer um tira gosto. Tem bares que tem um aperitivo, mas, dependendo do horário, você pode não encontrar nem uma batatinha. Então, deixei uma listinha de comidinhas pré bares aqui, come alguma coisinha e bora.

The Guinness Pub

Eu sei que é estranho começar falando desse pub (e não do clássico Temple Bar), mas é uma questão de logística.

O Guinness Pub fica fica na frente do St. Stephen’s parque e é ótimo para um esquenta, já que na maioria das vezes ele é tranquilo. 

O que é legal desse pub é pedir para que eles imprimam uma foto sua na espuminha da Guinness!

The Temple bar

Essa parada é obrigatória. O Temple bar fica na região do The Temple bar (é complicado, tem um bairro chamado temple bar e um bar com o mesmo nome) é o pub mais turístico, conhecido pela sua estrondosa faixada. Foto aqui é obrigatória e concorrida. 
O espaço por dentro também é bem icônico e sempre tem uma boa musica local. Para os amantes de whisky, lá tem simplesmente 450 tipos de whiskies raros. É a maior coleção que existe na Irlanda.

Porém, contudo, para quem está com o orçamento curto, veja bem, esse é o bar com a cerveja mais cara da região. Então tá tudo bem, tirar umas fotinhos e pegar um pint no próximo.

The Bad Bobs

Esse é simplesmente o meu pub favorito! O motivo é quase que exclusivamente por causa da música ao vivo, que começa a partir das 19h e que nunca decepciona.

O'Neills Pub & Kitchen

Um clássico pub irlandês, operado pela mesma familia há mais de 100 anos! É mole?

Particularmente entrou na lista porque amo as opções de cervejas e a comida valeu bastante a pena.

E claro, tem musica ao vivo depois das 19hrs.

Buskers

Além da música ao vivo esse agitato pub é ainda mais divertido descendo as escadas.

No andar de baixo o pub oferece uma imensidão de jogos como tennis de mesa, pebolim, fliperama, entre outros.  

The Old Storehouse

Se seu pedido é conhecer um pouco das músicas tradicionais da Irlanda, esse é o pub.

The Brazen Head

Esse é simplesmente o Pub mais antigo de Dublin!

Gostou? Compartilhe!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

pt_BRPortuguês do Brasil